Brasil e Austrália: 33 anos de rivalidade e muita história | OneFootball

Brasil e Austrália: 33 anos de rivalidade e muita história

Logo: Planeta Futebol Feminino

Planeta Futebol Feminino

Neste sábado, 23, a Seleção Brasileira entra em campo contra a Seleção Australiana em partida amistosa. O duelo marcará o 20º encontro entre as equipes, fazendo das Matildas o terceiro time que o Brasil mais enfrentou em sua história, atrás apenas dos EUA (39) e Canadá (29). A primeira vez que as equipes se enfrentaram foi no dia 1º de junho de 1988 em partida válida pela fase de grupos do Torneio de Convite Feminino da FIFA de 1988, realizado na China. Na ocasião, a Austrália venceu a partida por 1 a 0, dando início ao que viria se tornar uma das maiores rivalidades do futebol feminino por Seleções.

Para os mais antigos seguidores da Seleção Feminina jogo contra a Austrália é sempre diferente. São encontros em que a atmosfera de “guerra” se instala com antecedência e a ideia de perder para as rivais sempre causa inúmeros tipos de reações, nenhuma delas positivas. São jogos em que o famoso ditado “clássico não se joga, se ganha” assume o protagonismo. E não poderia ser diferente, o confronto é marcado de grandes jogos e momentos marcantes. São inuméros duelos em amistosos, torneios, Copas do Mundo e Olimpíadas. O retrospecto geral do encontro é favorável as australianas, atualmente os números marcam 8V-1E-10D para o Brasil.

No histórico recente, a vantagem também é das Matildas. A última vitória brasileira no confronto aconteceu em uma partida amistosa em julho de 2016, quando o Brasil venceu por 3 a 1, de virada, com gols de Debinha, Raquel e Darlene. Larissa Crummer abriu o placar para as Australianas aos 35 minutos do primeiro tempo. Desde então, as equipes se enfrentaram mais seis vezes, tendo a Austrália vencido cinco partidas. Uma delas, no último encontro entre as equipes, foi na Copa do Mundo Feminina da FIFA 2019, quando venceram o Brasil por 3 a 2, de virada, em partida válida pela fase de grupos. O único empate entre os times aconteceu nas quartas de finais das Olimpíadas do Rio 2016. O jogo terminou 0 a 0, no tempo normal e foi para a disputa de pênaltis. Quem não lembra desse confronto? A estrela da goleira Bárbara brilhou e o Brasil avançou as semifinais após vencer a disputa por 7 a 6.

Relembre os melhores momentos da partida

Esse foi o terceiro encontro entre as equipes em Jogos Olímpicos, os primeiros haviam acontecido em 2000 (vitória brasileira por 2 a 1, em Sydney) e 2004 (vitória brasileira por 1 a 0, em Atenas). Em Copas do Mundo, o duelo também tem bastante história. A primeira vez que se enfrentaram foi em 2007, pelas quartas de finais, e o Brasil venceu por 3 a 2, gols de Formiga, Marta e Cristiane. Lisa De Vanna e Lauren Colthorpe marcaram pela Austrália. As equipes se reencontraram em 2011, na Alemanha, agora pela fase de grupos, e mais uma vez o Brasil saiu com a vitória ao vencer por 1 a 0, com gol de Rosana. Em 2015, na Copa do Canadá, as equipes se enfrentaram nas oitavas de final, e dessa vez, as australianas se deram melhor ao vencer por 1 a 0, gol de Kyah Simon, eliminado o Brasil da competição. E o último duelo foi em 2019, na Copa da França, e mais uma vez deu Austrália. Após saírem perdendo por 2 a 0, elas imprimiram uma reação impressionante e viraram o confronto para 3 a 2.

Por mais que haja um equilíbrio histórico nos duelos entre os times, foi a Austrália que aplicou a maior goleada do confronto até aqui. Em agosto de 2017, durante partida válida pelo Torneio das Nações, o Brasil foi superado por 6 a 1, de virada, amargando sua pior derrota sob o comando da técnica Emily Lima. Camilinha marcou o gol brasileiro. Lisa De Vanna (2), Caitlin Foord (2), Katrina Gorry e Sam Kerr marcaram para a Austrália.

Fonte: Stats Brasil Fut Fem (acesso em: https://sites.google.com/view/statsbrasilfutfem/)

Esses serão os primeiros confrontos entre as equipes desde 2019. Ambas as seleções são comandadas por suecos, cada um com sua filosofia de jogo e ideias. Pia Sundhage assumiu o comando da Seleção Brasileira em 2019, já Tony Gustavsson se tornou técnico da Austrália no final de 2020, tendo assumido apenas em 2021. Apesar de estar no comando a pouco tempo, o treinador levou a equipe a um histórico quarto lugar nas Olimpíadas de Tóquio e ganhou mais folêgo a frente do time que vive momentos de muita instabilidade, e a parte defensiva tem sido o maior pesadelo do sueco, a Austrália tomou 30 gols nos últimos 12 jogos que disputou. O cenário na Seleção Brasileira é diferente do último encontro. Sob o comando de Pia, o Brasil se tornou uma equipe bastante sólida e constante. A defesa (apesar de bastante questionável entre os torcedores) se mostrou um ponto forte da equipe, tendo tomado apenas 8 gols nos últimos 11 jogos. Os números são ainda mais impressionantes no geral, em 24 jogos sob o comando da sueca, a Seleção marcou 65 gols e sofreu apenas 13. Vivendo momentos opostos, os times escreverão mais dois novos capítulos dessa rivalidade histórica nesta data FIFA. O primeiro jogo será no sábado, 23, ás 5h50 (horário de Brasília) e o segundo será na terça-feira, 26, ás 6h05, ambas as partidas acontecerão em Sydney, na Austrália.

Mencionados neste artigo
Saiba mais sobre o veículo