🎥 Brasil domina, goleia o Uruguai e segue 100% na Copa América | OneFootball

Icon: OneFootball

OneFootball

OneFootball·12 de julho de 2022

🎥 Brasil domina, goleia o Uruguai e segue 100% na Copa América

Imagem do artigo:🎥 Brasil domina, goleia o Uruguai e segue 100% na Copa América

A Seleção Brasileira feminina fez (mais uma vez) o que dela se esperava na Copa América.

Após o 4 x 0 sobre o Argentina, o Brasil goleou o Uruguai por 3 x 0 nesta terça (12), no Centenário de Armênia.


Vídeos OneFootball


Adriana foi, mais uma vez, o grande destaque.

Domínio e Adriana on 🔥

A principal missão brasileira era superar uma rival bem fechada.

E, depois, controlar a afobação no momento de concluir.

Eis que, aos 32 minutos, Antonia fez grande jogada pela direita – se livrando de duas marcadoras – e Adriana só empurrou para o gol.

E o segundo veio antes do intervalo, justificando o domínio. Investida de Bia Zaneratto para Debinha completar.

O terceiro gol veio logo aos dois minutos da etapa final.

Lançamento de Rafaelle, jogada de Debinha e outra celebração de Adriana – a quarta no torneio.

A seleção uruguaia – que só foi longe na competição em 2006 – até assustou: Birizamberri acertou a trave.

Mas perdeu força com a expulsão de Ximena Velazco.

🔢 Tabela e agenda 📆

As comandadas de Pia foram aos seis pontos na liderança do Grupo B.

Argentina e Peru – que ainda não estreou – atuarão logo mais.

A Celeste foi derrotado pela segunda vez.

A próxima rodada será de folga para o Brasil, que voltará a atuar na segunda (18), quando terá a Venezuela pela frente.

🏆 O que está em jogo?

A campeã levará 1,5 milhão de dólares de premiação (cerca de R$ 8 milhões).

E ainda enfrentará a vencedora da Eurocopa-2022 em fevereiro do ano que vem.

As três primeiras colocadas se garantem na Copa do Mundo de 2023 – que terá Austrália e Nova Zelândia como sedes.

E as finalistas vão para os Jogos Olímpicos de Paris em 2024.

O Brasil venceu sete das oito edições disputadas – só perdeu a decisão de 2006 para a Argentina.


Foto: Thais Magalhães/CBF