Atlético vence o Palmeiras e garante a 3ª colocação no Brasileiro

Logo: Deus me Dibre

Deus me Dibre

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fdeusmedibre.com.br%2Fdeusmedibre%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F02%2F50981152921_bfe4f1551f_k.jpg&q=25&w=1080

FOTO: PEDRO SOUZA / ATLÉTICO

Na noite de despedida de Jorge Sampaoli, o Atlético bateu o Palmeiras por 2 x 0, com gols de Sasha e Jair, em duas belas assistências de Keno. Com o resultado, a equipe atleticana confirmou o terceiro lugar na tabela, assegurando R$ 1.7 milhão a mais em premiação.

1º Tempo

Antes da partida começar, 2 surpresas na escalação. Sampaoli colocou Zaracho e Tardelli no time titular. As mudanças não surtiram resultado. O primeiro tempo foi sonolento, com poucas chances de gol. O jogo se resumia na dificuldade de ambas as equipes em fazer a transição do meio com o ataque.

O lance de maior polêmica da primeira etapa ocorreu logo nos primeiros minutos. Lucas Lima recebeu ótimo lançamento, driblou Everson, fora da área e sofreu a falta do goleiro alvinegro. O árbitro Heber Roberto Lopes mostrou apenas o cartão amarelo no lance, levando jogadores e comissão técnica da equipe visitante a loucura.

Chances de gol apenas nos minutos finais. Primeiro para o Palmeiras: aos 41’, Wesley recebeu sozinho dentro da área e finalizou no canto, obrigando o goleiro atleticano a se esticar todo e operar um verdadeiro milagre. No contragolpe, Diego Tardelli recebeu em posição legal, invadiu a área e chutou forte para a boa defesa do goleiro Vinicius.

2º Tempo

Observando a dificuldade que o time atleticano tinha para criar, Jorge Sampaoli (o treinador não estava no banco de reservas por causa de suspenção) mexeu no intervalo. O Atlético voltou com Keno e Hyoran no lugar de Tardelli e Zaracho, respectivamente.

Com as mudanças o time melhorou. As jogadas de meio fluíam com mais naturalidade. Hyoran aparecia para o jogo, se aproximando mais dos atacantes. Assim, as chances de gol começaram a surgir. Primeiro com Marrony, que foi lançado na área, mas não conseguiu finalizar bem, aos 3 minutos. Aos 5’ foi a vez de Hyoran. O meia recebeu ótimo cruzamento de Keno mas cabeceou para fora. Aos 30’ a chance mais clara do jogo até então. Após cobrança de escanteio, a bola sobrou para Igor Rabello quase na linha da pequena área, sozinho. O zagueiro chutou forte e o goleiro Vinícius fez grande defesa.

A pressão continuou e não demorou muito para sair o primeiro gol. Aos 33 minutos, após jogada pelo lado esquerdo, Keno colocou a bola na cabeça de Jair, que cabeceou bem, no cantinho. Era o primeiro do Galo. Com o gol, o Atlético conseguiu dominar ainda mais o jogo.

“Cozinhando” a partida saiu o segundo gol. Mais uma vez Keno, aos 43’, pelo lado esquerdo, fez grande jogada e cruzou para Sasha, que de carrinho empurrou para o gol. Foi a 10ª assistência de Keno na temporada, o líder neste quesito no time atleticano.

O que vem pela frente

O Atlético já vai precisar virar a “chavinha”, pois no domingo (28) estreia em competição diferente. No Mineirão, às 18h30, o time irá receber a URT, pela 1ª rodada do Campeonato Mineiro.

Para este início de Estadual, o Atlético terá Lucas Gonçalves e Éder Aleixo, auxiliares fixos da equipe como “treinadores”. Os profissionais não irão contar com boa parte do elenco neste início de Mineiro, já que os jogadores considerados titulares, aqueles que participaram da maioria dos jogos da temporada 2020, terão alguns dias de descanso. Chance para alguns atletas que não vinham recebendo muitas oportunidades, jogadores das categorias de base e do time de transição!