Athletico e River Plate empatam na Baixada e decisão fica para Argentina

Logo: Trétis

Trétis

Imagem do artigo: Athletico e River Plate empatam na Baixada e decisão fica para Argentina

Athletico Paranaense e River Plate empataram em 1 a 1 na noite desta terça-feira, na Arena da Baixada, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. Bissoli abriu o placar, mas Paulo Díaz empatou aos 45 da etapa final. Com o empate, a decisão fica em aberta para o jogo de volta, marcado para a próxima terça-feira, às 19h15, em Avellaneda, em Buenos Aires. Qualquer vitória classifica o Furacão, bem como qualquer empate acima de 1 a 1.

Antes de pensar nos hermanos, os comandados de Paulo Autuori voltam a campo no próximo sábado, diante do Palmeiras, no Allianz Parque, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro.

PRIMEIRO TEMPO

Como de esperado, a partida começou tensa, digna de oitavas de final da Libertadores envolvendo Brasil e Argentina. Nos primeiros minutos, o Athletico encontrava dificuldades para sair jogando em função da alta marcação do River Plate. Contudo, a primeira escapada foi do Furacão e levou muito perigo. Aos três minutos, a bola sobrou na área para Kayzer, que protegeu até chegar para Richard. O meio-campista estava livre de marcação, cara a cara com Armani, na marca do pênalti, mas chutou por cima. Chance inacreditável.

Vice-campeã da Libertadores na temporada passada, a equipe millonaria tentava dominar o duelo e aos poucos conseguia. O time argentino era mais intenso e busca mais estar no campo de ataque. Os comandados de Paulo Autuori tinham dificuldade de para sair da cancha defensiva e acabavam por devolver facilmente a bola para o adversário. Justamente em um contra-ataque, o River quase abriu o placar. Matías Suárez foi lançado nas costas da marcação, saiu com caminho aberto, mas na hora da finalização Pedro Henrique travou.

A primeira metade dos minutos iniciais foram de rebatida. O River Plate tentava chegar e no último passe a defesa atleticana chegava para cortar. O cenário se repetia continuamente.

Os visitantes ainda tiveram uma boa chance com Paulo Díaz. Ignacio Fernández levantou escanteio na cabeça do defensor que testou para o chance e fez Bento espalmar para a linha de fundo.

SEGUNDO TEMPO

Tentando mudar a equipe ofensivamente, Autuori mandou Walter e Bissoli para campo na segunda etapa nos lugares de Carlos Eduardo e Kayzer, respectivamente. O River voltou assustando, cenário parecido com o da primeira etapa. Logo aos três minutos, Borré chutou no segundo pau para Suárez, livre, não conseguir alcançar.

Contudo, aos 12 brilhou a estrela de Bissoli e de Paulo Autuori que o mandou para jogo. Erick lançou boa bola para o camisa 9, que dominou na entrada da área e girou acertando um bonito chute. Indefensável para Armani. 1 a 0 Furacão.

Em vantagem, naturalmente o Athletico se fechou e os hermanos se lançaram. Borré chegou com perigo, mas Thiago Heleno travou na “hora h”, aos 17.

O jogo ganhou um toque de drama com 21 minutos. Reinaldo, em lance infantil, levou o segundo cartão amarelo e foi mais cedo para o vestiário. A partir daí, virou ataque contra defesa. Em atuação inspirada de Thiago Heleno, a defesa atleticana se segurava como dava.

Suárez acertou a trave de Bento. Água mole, pedra dura, tanto bate até que fura. Aos 45, Paulo Díaz empatou de cabeça. Sem tempo para mais atividade, o embate acabou igual.

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO 1X1 RIVER PLATE- ARG

Estádio: Arena da Baixada, Curitiba

Árbitro: Andres Rojas (COL)

Assistentes: Alexander Guzman (COL) e Dionisio Ruiz (COL)

VAR: Nicolas Gallo (COL)

GOL: Bissoli, aos 12 do segundo tempo (Athletico); Paulo Díaz, aos 45 do segundo tempo (River Plate)

Cartões Amarelo: Léo Cittadini, Carlos Eduardo e Reinaldo (Athletico);

Cartão Vermelho: Reinaldo (Athletico)

ATHLETICO: Bento; Erick, Pedro Henrique, Thiago Heleno e João Victor (Aguilar); Wellington, Richard (Lucho González) e Léo Cittadini; Reinaldo, Carlos Eduardo (Walter) e Renato Kayzer (Bissoli)
Técnico: Paulo Autuori

RIVER PLATE: Armani; Montiel, Paulo Díaz, Pinola e Casco (Lucas Pratto); Ignacio Fernández, Sosa, Enzo Pérez e De La Cruz (Carrascal); Borré (Julián Álvarez) e Matías Suárez
Técnico: Marcelo Gallardo