Aproveitamento de Crespo no São Paulo cai quase pela metade após título paulista

Logo: Stats Perform

Stats Perform

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fimages.performgroup.com%2Fdi%2Flibrary%2Fdazneditorialimages%2Fa9%2F49%2Fhernan-crespo-sao-paulo-flamengo-brasileirao-25-07-2021_hernan_crespo_sao_paulo_flamengo_brasileirao_25_07_2021_1fh6z6qek736418zyh9phnzx59.jpg%3Ft%3D-521866966&q=25&w=1080

O São Paulo não fazia um jogo ruim contra o Flamengo, no Maracanã, pela 13ª rodada do Brasileirão 2021. Ao menos, não até o minuto 70. O Tricolor vencia a partida, com gol de Arboleda, mas em sete minutos tudo mudou.

Chame de apagão são-paulino ou de iluminação de Bruno Henrique, fato é que em sete minutos o atacante rubro-negro marcou três vezes – e ele não fazia um hat-trick desde os tempos em que Jorge Jesus treinava o time carioca. Com a equipe treinada por Hernán Crespo já em frangalhos, Gustavo Henrique e um gol contra de Welington fizeram o 5 a 1.

Foi a derrota mais elástica do São Paulo desde achegada de Crespo para comandar o time, no início desta temporada. O resultado deixa o Tricolor como primeiro time fora da zona de rebaixamento, em 16º com 11 pontos somados. Não há como negar que a campanha nesta Série A têm sido longe das expectativas. Ainda mais das expectativas que apareceram após o clube do Morumbi enfim acabar com o jejum de títulos, conquistando o Paulistão ao bater o Palmeiras na final.

O título estadual, que não tomava o rumo do Morumbi desde 2005, ganhou mais peso no São Paulo devido à fome de títulos em meio ao jejum. Foi, inclusive, tratado como “final de Copa do Mundo” internamente. E até mesmo dentro do São Paulo já foi dito: a consequência de todo o esforço físico feito para garantir a conquista tem sido um ônus para estes meses subsequentes ao triunfo estadual. E os números mostram muito bem isso. O aproveitamento do time, por exemplo, caiu por quase a metade.

(Foto: Getty Images)

Do início da temporada até os 2 a 0 sobre o Palmeiras, na finalíssima do Paulista, foram 21 jogos realizados pelo São Paulo, considerando todas as competições. O time de Crespo venceu 13, empatou seis e perdeu apenas duas vezes. Teve aproveitamento de 71%. Marcou 44 gols e sofreu 13.

Após o título estadual, o São Paulo entrou em campo 18 vezes e perdeu mais do que ganhou: foram sete derrotas, seis empates e cinco vitórias. Um aproveitamento de 38%. O time marcou 27 gols e sofreu 23.

(Foto: Getty Images)

Evidente que nem tudo é negativo. Se no Brasileirão a situação ainda preocupa nesta primeira metade de caminhada, na Libertadores o São Paulo fez, contra o Racing, uma de suas melhores exibições na temporada. Pressionado pelo 1 a 1 na ida das oitavas de final da Libertadores, o Tricolor foi soberano na Argentina e venceu por 3 a 1. Garantiu o seu prosseguimento na principal competição continental. No entanto, segundo discurso dado por Crespo após a derrota para o Flamengo, a sua equipe não prioriza alguma competição - dentre Copa do Brasil, onde enfrenta o Vasco pelas oitavas de final, Brasileirão e Libertadores.

“Queremos respeitar todas as competições. Sabemos que temos um elenco que pode fazer isso. Infelizmente, não temos conseguido os resultados e sabemos das dificuldades. Já expliquei em outras coletivas que estamos com uma equipe em construção e é difícil repetir os 11 por diversos motivos. Mas vamos continuar a lutar”, disse o argentino.

Apesar da classificação na Libertadores, hoje é nítido que o São Paulo precisa melhorar para voltar a deixar seu torcedor com boas expectativas.