Apesar de golaço de Messi, Argentina estreia na Copa América apenas com empate contra o Chile

Logo: Esporte News Mundo

Esporte News Mundo

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fesportenewsmundo.com.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F06%2F1003142733-scaled.jpg&q=25&w=1080

Na reedição das finais da Copa América de 2015 e 2016, o resultado se repetiu. Argentina e Chile empataram em 1 a 1 em jogo de abertura do Grupo A. Os holofotes como sempre estiveram em Messi e o craque argentino abrilhantou a partida ao marcar um golaço de falta.

A expectativa era de que o argentino fosse dar a vitória ao seu time, exorcizando um fantasma que lhe deu dois vices. No entanto o Chile empatou na segunda etapa com Vidal, aproveitando o rebote em um pênalti que ele mesmo desperdiçou. O resultado frustrou os argentinos que teve um volume maior de jogo, principalmente os fãs brasileiros de Messi, que apesar da rivalidade, torcem para o sucesso do craque.

FRUSTRAÇÃO E PRESSÁGIO

Antes mesmo da bola rolar, Messi já era a atração principal (na verdade ele sempre é). Por conta da pandemia, não é permitido a presença de público no estádio. Porém isso não impediu que os fãs se reunissem no portão de entrada das delegações, na esperança de receber um aceno do ídolo. Não há como saber se o argentino retribuiu o carinho, já que as janelas do ônibus não são transparentes.

No aquecimento, duas finalizações certeiras indicavam que o craque estava calibrado e isso se confirmou no golaço de falta, daqueles que lhe fazem sorrir de alegria por conta da magia proporcionada. No entanto, antes de protagonizar o lance mais importante do primeiro tempo, a Argentina já merecia sair na frente do Chile, apesar da pouca participação Messi.

NO QUASE OUTRA VEZ

A superioridade da Argentina na primeira etapa deu a sensação de que a vitória seria conquistada de forma tranquila. Entretanto, do outro lado estava o Chile, bicampeão da Copa América justamente sobre a Argentina. O empate aconteceu logo no início, com Vidal, aproveitando o rebote de um pênalti que ele mesmo desperdiçou. O VAR teve que entrar em ação no lance para ajudar o árbitro a decidir o que das tribunas de imprensa se viu claramente. Tagliafico cometeu a infração.

Scaloni lançou a Argentina para frente com alterações logo após o gol sofrido, buscando pressionar o Chile. A estratégia funcionou, mas deu espaços para o contra-ataque chileno, que por pouco não conseguiu a virada. Com o setor de ataque mais povoado, Messi buscou o seu espaço longe da área. O atacante ficou aberto pelo lado direito, próximo da linha lateral, dando a impressão de que o jogo iria até ele. Foi o que aconteceu e em duas oportunidades serviu Nicolas González, mas o companheiro desperdiçou as chances claras criadas pelo camisa 10.

Nos minutos finais, Messi se limitou a cobrar faltas e escanteios, que não surtiram efeito. O gênio parecia estar decepcionado com o resultado indicando que a caminhada será longa e árdua na busca pelo título. O craque precisa de companhia para conquistar o seu maior sonho, que é o de levantar uma taça pela Argentina.

Saiba mais sobre o veículo