Análise: Flamengo volta a jogar como música

Logo: Esporte News Mundo

Esporte News Mundo

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fesportenewsmundo.com.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F07%2F51344781529_aff69022e7_k.jpg&q=25&w=1080

O Flamengo goleou o ABC por 6 a 0 na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, no Maracanã. Um jogo em que o Mais Querido poderia ter feito mais gols. Simplesmente um atropelo.

E o rubro-negro volta a mostrar em campo características que consagraram o Flamengo em 2019 na época de Jorge Jesus: movimentação ofensiva forte e troca constante de posições.

Num momento em que gostam muito de conceitos, é o chamado ataque funcional. Em que cada jogador tem uma função. Um é o puxador da marcação, outro é o responsável pelo arranque, outro pelo passe, etc. Mas, para funcionar, é preciso que o time ataque em bloco. Ou seja, muitos jogadores próximos da bola.

Basta pegar os melhores momentos. Quando a bola está na direita, todos os homens se aproximam deste setor. Assim, a troca de passes fica facilitada e os espaços se tornam mais fáceis de serem encontrados.

Com Renato, o Flamengo volta a ter aquilo que sempre foi criticado com Ceni: jogadores posicionados em faixas do campo em que jogam melhor. Ou seja, são potencializados. E essa é uma grande diferença.

Veja mais detalhes no vídeo abaixo. Assista e comente: Flamengo joga como música?

Mencionados neste artigo
Saiba mais sobre o veículo