Abel justifica time misto do Palmeiras e fala sobre volta por cima de Veiga | OneFootball

Abel justifica time misto do Palmeiras e fala sobre volta por cima de Veiga

Logo: Gazeta Esportiva.com

Gazeta Esportiva.com

Neste domingo, o Palmeiras derrotou o Goiás por 3 a 0, no Allianz Parque, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. De olho na decisão que terá contra o Atlético-MG na quarta-feira, pelas quartas de final da Libertadores, o técnico Abel Ferreira decidiu rodar o elenco nesta tarde.

“É isso mesmo, é ir em busca de uma equipe intensa o jogo inteiro. Falo muitas vezes que temos que fazer gestão de energia para jogar na máxima força. Era para ser intenso o jogo inteiro, essa foi nossa intenção”, comentou.

Além das trocas de jogadores, o comandante também fez algumas alterações táticas durante o embate. Com dificuldade para falar com seus atletas, ele enviou um bilhete para explicar o que pretendia.

“Muitas vezes queremos fazer alterações táticas e é difícil falar com três ou quatro jogadores, que era o caso. No bilhete, eu dizia para que eles continuassem jogando assim, que nossos torcedores estavam a nos apoiar. Aproveito para os convocar para quarta-feira, eles têm sido espetaculares e ajudando muito. Essa equipe tem dado diversão. os nossos torcedores vêm para desfrutar e para se divertir. Estou muito contente com isso”, disse.

Abel também aproveitou para falar sobre Raphael Veiga. O meia voltou a marcar um gol de pênalti após três falhas consecutivas, sendo um contra o Santos, pelo Brasileirão, e dois contra o São Paulo, pela Copa do Brasil. O português minimizou os erros e destacou a importância de dar a volta por cima.

“Eu não conheço nenhum jogador no mundo que só acerta. O Cristiano Ronaldo é um batedor exímio e perdeu quatro ou cinco. O Veiga em 25, falhou dois ou três e é normal. Às vezes é a forma. Esse é o segredo, a forma com o que a gente lida com a diversidade. Muitas vezes nos temos a tendência de focar nos problemas. Ele falhou dois, mas fez 24 seguidos. Ele ia falhar algum dia. Muitas vezes os jogadores focam muito no passado, nas coisas menos positivas. Eu estou sempre a dizer que precisamos olhar aquilo que queremos que aconteça”, analisou.

O técnico, inclusive, usou a atuação do Wesley como exemplo. O atacante teve diversas chances para marcar um gol, mas pecou nas finalizações. Abel, no entanto, fez questão de olhar o lado positivo da história.

“O Wesley falhou em três oportunidades, mas criou. Ele criou mais que outros jogadores dentro do jogo. Falhou, mas criou. O jogo não é só com a bola, é técnica, tática e física. O sucesso não é só fazer gols ou vencer. O sucesso é quando se dá o melhor o máximo em cada treino e jogo. Eles têm que entender que tem que ser resiliente, a melhor forma que temos para lidar com a adversidade é com trabalho e disciplina. É isso que eu quero ver. E quero ver no treino. A única coisa que eu exijo é o melhor de ti”, finalizou.

Com o resultado, o Palmeiras se isolou ainda mais na liderança do Brasileirão, com 45 pontos, seis a mais que o vice-líder do Corinthians, que empatou com o Avaí neste sábado, na Ressacada.

O Verdão volta a campo agora na próxima quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), quando recebe o Atlético-MG pelo jogo de volta das quartas de final da Libertadores. Na ida, houve um empate de 2 a 2 em Belo Horizonte.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo