A Suíça conta com um gol-relâmpago e segura o ímpeto de Portugal, vencendo a primeira na Liga das Nações | OneFootball

A Suíça conta com um gol-relâmpago e segura o ímpeto de Portugal, vencendo a primeira na Liga das Nações

Logo: Trivela

Trivela

A Suíça vinha de três derrotas na Liga das Nações, mas conseguiu se recuperar neste domingo com um importante resultado. Graças a um gol-relâmpago de Haris Seferovic no primeiro minuto, os suíços derrotaram Portugal por 1 a 0 em Genebra. Os lusitanos estavam invictos na campanha e, com uma equipe modificada, sem Cristiano Ronaldo, não conseguiram retomar o prejuízo nem com a pressão na reta final. Méritos dos anfitriões, que resistiram na defesa e contaram com as boas defesas do goleiro Jonas Omlin. Com isso, a Seleção das Quinas deixa a liderança do grupo, ultrapassada pela Espanha. Os helvéticos, enquanto isso, seguem na lanterna.

A Suíça apostou numa formação cheia de medalhões, exceção feita ao goleiro Jonas Omlin. Nomes como Ricardo Rodríguez, Granit Xhaka e Xherdan Shaqiri estavam presentes. Já Portugal rodou bem o time em relação à vitória sobre a República Tcheca. Cristiano Ronaldo ganhou um descanso, assim como Bernardo Silva. A equipe contava com Rafael Leão, André Silva e Otávio na frente. Bruno Fernandes era acompanhado por Vitinha e Rúben Neves no meio. A dose de experiência ficava para Pepe e Rui Patrício.

A partida não chegou nem a um minuto, quando a Suíça anotou o primeiro gol. Silvan Widmer cruzou da direita e Haris Seferovic definiu de cabeça, no cantinho. Portugal tentou responder com força e pressionou na sequência, mas sem acertar as jogadas. Rafael Leão participava bastante. Aos 12, porém, um pênalti seria marcado para os suíços por um toque de mão de Nuno Mendes. A sorte dos portugueses é que o lance acabaria revertido, por uma falta anterior de Nico Elvedi em cima de André Silva.

Refeita do susto, a seleção de Portugal se manteve em cima pelo empate. Danilo Pereira exigiu grande defesa de Jonas Omlin em cabeçada, pouco antes de Rafael Leão ter um gol anulado por impedimento aos 18. A Suíça ainda perderia o lesionado Xherdan Shaqiri neste momento, dando lugar a Noah Okafor. Os portugueses permaneceram com a iniciativa, tentando acionar André Silva na frente. Porém, acabavam com dificuldades de concluir as jogadas.

Os dois times voltaram para o segundo tempo com mudanças, com as entradas de Gonçalo Guedes e Renato Steffen. O duelo também ganhava emoção, com oportunidades para André Silva e Remo Freuler. O nível de intensidade aumentava, com chegadas de ambas as equipes. Seferovic quase marcou mais um anos 17, num tiro ao lado da trave. Logo depois, Bernardo Silva e Diogo Jota entraram por Portugal. Omlin voltaria a trabalhar num arremate de Bernardo.

Portugal seguiu no controle da partida em busca do empate. Só estava difícil passar por Omlin. Gonçalo Guedes poderia ter feito aos 26, numa linda inversão de Nuno Mendes, mas Omlin conseguiu salvar. Depois, o goleiro voltou a trabalhar contra Diogo Jota, enquanto João Cancelo mandou uma pancada ao lado do ângulo. A Suíça fechava os espaços na área e gastava o tempo, com raras chegadas no ataque. Os últimos suspiros dos portugueses viriam com Pepe. O zagueiro parou outra vez em Omlin, enquanto teria uma batida perigosíssima pelo lado de fora da rede. Por fim, no último lance, Diogo Jota buscou o ângulo e mandou para fora.

A Espanha soma oito pontos, na liderança do grupo. Portugal parou nos sete pontos e acabou ultrapassado. Já a República Tcheca vem em terceiro, com quatro pontos, um a mais que a Suíça.

Saiba mais sobre o veículo