A renovação de Mbappé teve sua apoteose no Parc des Princes, com direito a tripleta e goleada | OneFootball

A renovação de Mbappé teve sua apoteose no Parc des Princes, com direito a tripleta e goleada

Logo: Trivela

Trivela

O Paris Saint-Germain fecha a temporada com a sensação de que sua maior vitória não foi a conquista da Ligue 1. O grand finale dos parisienses em 2021/22 veio com a notícia que, em tantos momentos, parecia distante de se concretizar: Kylian Mbappé fica no Parc des Princes. O anúncio aconteceu no gramado do estádio pouco antes da partida contra o Metz, com várias pompas para oficializar a renovação de contrato até 2025. E o triunfo com bola rolando, depois disso, seria consequência desse clima festivo. O PSG goleou por 5 a 0 e rebaixou os adversários, dando uma forcinha para o Saint-Étienne. Mbappé foi o dono da noite, com uma tripleta, fechando sua excelente campanha individual na Ligue 1. Seria também uma partida de emoções pela despedida de Ángel Di María, que anotou seu gol e não segurou as lágrimas.

O prato principal ao PSG veio antes mesmo do pontapé inicial. Um palco foi montado no Parc des Princes, com direito a fogos de artifício, para que o clube anunciasse a renovação de Mbappé. Também foram publicados vídeos nas redes sociais, tirando até uma casquinha do Real Madrid, que em muitos momentos era dado como destino certo do atacante. O novo contrato terá duração de três anos, vigorando até 30 de junho de 2025. La Liga entrou com um protesto na Uefa contra a renovação, dizendo que o contrato fere o Fair Play Financeiro, mesmo sem que os valores tenham sido divulgados.

Nos vídeos, Mbappé aparecia exultante pela permanência: “Queria anunciar que optei por ampliar meu contrato com o PSG e, claro, estou muito feliz com isso. Estou convencido de que aqui posso continuar a crescer dentro de um clube que oferece todos os meios para atuarmos no mais alto nível. Estou também muito feliz por poder continuar a evoluir na França, o país onde nasci, cresci e floresci. Gostaria de agradecer ao presidente, Nasser Al-Khelaïfi, por sua confiança, compreensão e paciência. Também agradeço a todos os torcedores do PSG, na França e ao redor do mundo, por suas inúmeras demonstrações de carinho, especialmente nos últimos meses”. Certamente estava contente com a bolada que deve levar, ampliada com toda a novela dos últimos meses.

Al-Khelaïfi complementaria: “A ampliação do contrato de Kylian marca um momento excepcional na história de nosso clube e constitui uma formidável notícia para nossos fãs ao redor do mundo. Desde que Kylian se juntou à nossa família, apesar de sua pouca idade, ele realizou maravilhas em todos os níveis. Ao estender com o Paris Saint-Germain, ele se torna a pedra angular do projeto do clube para os próximos anos, dentro e fora do campo. Para nossos torcedores e nosso clube, vamos abrir as páginas mais bonitas da nossa história”.

Quando a bola rolou, Mbappé tratou de transformar o comprometimento em gols. O Metz jogava pela sobrevivência e criou boas chances nos primeiros 15 minutos. O PSG cresceu depois disso e abriu o placar aos 25. Di María lançou Mbappé em velocidade, e o camisa 7 driblou o goleiro antes de mandar para dentro. A partir de então, a porteira se abriu. Aos 27, seria a vez de Lionel Messi servir o novo tento do atacante. Já aos 30, Neymar participou da festa tocando de cavadinha por cima do goleiro.

Logo aos cinco minutos do segundo tempo, Mbappé completou a sua tripleta. O atacante roubou a bola da defesa e partiu livre para definir dentro da área. As chances do PSG se sucediam, com uma bola na trave de Mbappé. Messi também acertou o poste, no lance que rendeu o quinto gol, de Di María. O argentino aproveitou o rebote e se emocionou na comemoração. Não era preciso mais. A grande emoção de Di María viria depois, quando foi substituído. Os companheiros fizeram uma guarda de honra e a torcida gritou o nome do craque.

Mbappé terminou a campanha como melhor jogador, artilheiro (28 gols) e líder em assistências (17 passes). Tamanha celebração por sua renovação era compreensível. O PSG fecha a Ligue 1 com 85 pontos, 15 a mais que o segundo colocado. Já o Metz amargou o rebaixamento ao ser ultrapassado pelo Saint-Étienne justo nessa rodada final. Ficou na penúltima posição, caindo direto.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo