A Itália venceu a Hungria e assumiu a liderança do seu grupo na Nations League | OneFootball

A Itália venceu a Hungria e assumiu a liderança do seu grupo na Nations League

Logo: Calciopédia

Calciopédia

Nesta terça-feira, 7, a Itália recebeu a Hungria pela Nations League e deu um passo importante em seu recém-iniciado processo de renovação. No Dino Manuzzi – Orogel Stadium, em Cesena, a Nazionale atuou bem, confirmou a atuação positiva realizada na estreia, contra a Alemanha, e venceu pelo placar de 2 a 1. Os gols da equipe de Roberto Mancini foram marcados por Barella e Pellegrini.

Logo no início da partida, a Itália mostrou o seu cartão de visitas. Politano cobrou escanteio e Mancini cabeceou, mas o goleiro Dibusz segurou firme. Até os 20 minutos o jogo foi bem pegado: a Nazionale não dava espaços para a Hungria, que mal criava, mas os azzurri também esbarravam nas finalizações, bloqueadas pela defesa visitante.

Aos 21 minutos, em novo escanteio, Politano encontrou a cabeça de Mancini outra vez, mas nessa ocasião Dibusz se esticou todo para fazer uma ótima defesa. Pouco tempo depois, na melhor oportunidade húngara, Sallai arriscou forte arremate cruzado da entrada da área, mas Donnarumma espalmou. Aos 30, finalmente, os italianos abriram o placar. Mancini lançou Spinazzola, que cortou um marcador e tocou em direção ao centro. Pellegrini fez o corta luz e Barella chutou forte, no ângulo dos húngaros. Com o oitavo gol pela seleção, o meia se tornou um dos artilheiros da gestão de Mancio, ao lado de Immobile e Belotti.

A Itália teve uma maior quantidade de chances após o primeiro gol e ficou perto de ampliar aos 44 minutos, quando Pellegrini recebeu lindo passe de Raspadori, mas, ao invés de finalizar, preferiu tocar para Gnonto. A defesa húngara se antecipou e conseguiu evitar a finalização do camisa 11. o meia da Roma se redimiu depois que Politano arrancou e fez bela jogada pela direita. Lorenzo recebeu cruzamento rasteiro e ampliou, encerrando a primeira etapa.

Com belo chute, Barella abriu o placar contra a Hungria e se tornou um dos artilheiros da era Mancini (Getty)

No segundo tempo, a partida foi ainda mais agitada. A primeira chance ocorreu numa jogada iniciada por Gnonto e concluída por Calabria, com um chute que desviou na defesa e passou perto do gol húngaro. Logo depois, a seleção visitante começou a sair mais para o jogo, tentando reduzir a desvantagem, e Donnarumma trabalhou em finalizações de Sallai e Négo.

A postura mais agressiva da Hungria permitiu que a Itália engatasse contra-ataques. Num deles, puxado por Calabria, Politano arrematou e acertou o travessão em cheio. A Squadra Azzurra parecia perto do gol e acabou marcando… contra: aos 61, Mancini tentou cortar um cruzamento e acabou jogando contra seu próprio patrimônio.

O gol fortuito da Hungria acabou alterando o equilíbrio do jogo, já que a Itália passou a atuar de forma mais conservadora, de modo a manter o placar – afinal, um tropeço poderia gerar uma pressão desnecessária no início do trabalho de renovação de Mancini. Mesmo assim, o técnico promoveu uma estreia ousada: a de Zerbin, ponta emprestado pelo Napoli ao Frosinone. Sem ter sequer debutado na Serie A, ele repetiu o exemplo de nomes como Verratti, Zaniolo e Tonali, que vestiram a camisa azzurra antes mesmo de somarem uma partida pela elite.

No fim das contas, a Itália teve sucesso em sua estratégia e manteve a vitória por 2 a 1 sobre os húngaros. Com 4 pontos, a Nazionale lidera o Grupo A3 da Nations League, já que Alemanha e Inglaterra se enfrentaram e ficaram num empate em 1 a 1. Abaixo dos italianos, a Hungria é a vice-líder da chave, com 3. A próxima partida dos comandados de Mancini será no sábado, 11, contra a Inglaterra, em Wolverhampton.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo