1ª rodada: com vitórias de todos os grandes, o Italiano teve início luxuoso | OneFootball

1ª rodada: com vitórias de todos os grandes, o Italiano teve início luxuoso

Logo: Calciopédia

Calciopédia

A temporada do Campeonato Italiano começou, finalmente. O pontapé inicial aconteceu no último sábado, 13 de agosto, e antecipou uma rodada inaugural com muitas bolas nas redes e fortes emoções, apesar de todos os favoritos terem vencido os seus jogos. Enquanto Milan, Napoli e Juventus conseguiram placares elásticos, Inter e Fiorentina só garantiram os três pontos com gols no último minuto. Por sua vez, a Lazio superou cenário adverso para triunfar de virada, a Atalanta foi soberana em sua peleja e a Roma não conseguiu marcar mais de um tento, por mais que tenha criado boas oportunidades para isso.

Ao todo, 34 gols foram anotados durante a primeira rodada da Serie A 2022-23, produzindo uma média de 3,4 por jogo. Além disso, foram distribuídos três cartões vermelhos – para Lazio, Bologna e Cremonese, em partidas simultâneas. Curiosamente, nenhum empate foi registrado na jornada. Leia o nosso resumo e confira o que de melhor ocorreu.

Milan 4-2 Udinese

Gols e assistências: Hernandez (pênalti), Rebic (Calabria), Díaz e Rebic (Díaz); Rodrigo Becão (Deulofeu) e Masina (Pereyra) Tops: Díaz e Rebic (Milan) Flops: Rafael Leão (Milan) e Deulofeu (Udinese)

Com superioridade, o Milan venceu a Udinese dentro de casa, por 4 a 2. O jogo foi marcado pelos bons desempenhos de Díaz e de Rebic, e também pela estreia do belga De Ketelaere, principal aquisição rossonera para a temporada. Do outro lado, Rodrigo Becão deu continuidade à maré de sorte em partidas contra o Diavolo e abriu o placar logo no começo da primeira etapa, calando o San Siro, que cantava “Pioli is on fire”. Foi o seu terceiro gol contra o time lombardo.

No entanto, a vantagem da Udinese durou pouco tempo. Em uma jogada perigosa, Silvestri deu o rebote em uma finalização de Díaz e, na sobra, Calabria tentou a finalização. O italiano acabou trombando com Soppy e, após chamada do VAR, o árbitro assinalou uma penalidade bastante discutível. Calmo e com uma frieza invejável, Hernandez converteu a cobrança.

E o Milan não parou por aí. Jogando pela direita, fez a pelota chegar a Rebic. Com a árdua tarefa de começar a partida no lugar de Giroud, o croata não tremeu em frente ao gol e virou o placar. Porém, ao final da primeira etapa, Masina deixou tudo igual mais uma vez. No cruzamento de Pereyra, o camisa 3 aproveitou o descuido de Junior Messias para mandar a bola para as redes.

Na segunda etapa, o Milan demonstrou não sentir o gol e voltou à frente no placar de imediato. Dessa vez, Díaz aproveitou o erro conjunto de Masina e Pérez e, cheio de confiança, anotou. A Udinese até tentou reagir, mas a tarde apagadíssima de Deulofeu afetou qualquer chance de reação. E, para deixar a vantagem maior, Brahim ainda apareceu com uma assistência para o segundo de Rebic. O espanhol não desistiu da disputa de bola com Pereyra e deu o passe para o croata, localizado no meio da área, consolidar o marcador.

Juventus 3-0 Sassuolo

Gols e assistências: Di María (Alex Sandro), Vlahovic (pênalti) e Vlahovic (Di María) Tops: Di Maria e Vlahovic (Juventus) Flops: Ayhan e Ferrari (Sassuolo)

O clima para o Sassuolo não era dos melhores, pela saída de atletas e clima pós-jogo contra o Modena. E piorou após a derrota por 3 a 0 para a Juventus no fechamento da rodada, numa partida repleta de erros individuais da defesa neroverde. A Vecchia Signora, por sua vez, mostrou superioridade e venceu os emilianos graças à estrela de Di María e à doppietta de Vlahovic.

A partida começou lenta, mas o Sassuolo teve boa presença de área. Defrel teve duas boas oportunidades de ferir a Juventus, uma em um cruzamento de Berardi para a defesa de Perin e a outra de fora da área, mas não conseguiu. Aí, a Vecchia Signora cresceu e abriu o placar. Alex Sandro cruzou e Di María pegou Consigli de surpresa, emendando um voleio para anotar seu primeiro gol na temporada.

Pouco tempo depois de criar uma boa oportunidade, Vlahovic fez o segundo gol do jogo. O árbitro assinalou uma penalidade dúbia após carga de Ferrari no sérvio. Apesar de haver possibilidade de checagem no VAR, a decisão de campo foi mantida e a Juve conquistou uma boa vantagem.

Após um primeiro tempo morno, a segunda etapa marcou o domínio absoluto de uma Juventus que parecia insaciável dentro da área. Os bianconeri chegaram ao terceiro gol depois de um erro de Ayhan na frente da área. Ele entregou a bola de presente para Di María, que – pouco antes de sair, com dores na virilha – ajeitou para Vlahovic ampliar. O Sassuolo até tentou uma reação através de jogadas pelos flancos, mas foi ineficaz. A tranquilidade da partida motivou Allegri a lançar mão de alguns jovens talentosos, como Miretti, Rovella e Soulé.

Parceria entre Vlahovic e Di María levou a Juventus à primeira vitória na temporada (Getty)

Lecce 1-2 Inter

Gols e assistências: Ceesay (Di Francesco); Lukaku (Darmian) e Dumfries (Martínez) Tops: Falcone (Lecce) e Dumfries (Inter) Flops: Çetin (Lecce) e Gosens (Inter)

Mesmo com a volta de Lukaku, a Inter precisou até do último segundo dos acréscimos para vencer o Lecce, fora de casa. O belga anotou um tento com menos de dois minutos, mas viu o time mandante crescer na segunda etapa e deixar tudo igual com Ceesay, vice-artilheiro do Campeonato Suíço 2021-22. Nos últimos segundos, Dumfries fez um gol de barriga e decretou a vitória heroica dos nerazzurri no Via del Mare.

Foram necessários menos de dois minutos para que o primeiro gol do jogo fosse marcado. Após o lançamento de Dimarco, Darmian ajeitou de cabeça e Lukaku, em sua reestreia pela Inter, anotou – em sua outra passagem pela equipe, o belga também começou com um tento sobre o Lecce. Para abrir espaços, a Inter apostava na troca de passes mais intensa, buscando velocidade no ataque. Foi em uma dessas oportunidades que Barella emendou uma finalização, defendida por Falcone.

Já na segunda etapa, o Lecce cresceu e deixou tudo igual. Com a confiança em alta, Di Francesco passou para Ceesay bater cruzado. Com Handanovic de um lado e a bola indo para o outro, o gol saiu. O time salentino inflamou a partida e arriscou uma finalização com o brasileiro Gabriel Strefezza, que mandou para fora. Após uma falta perigosa de Çalhanoglu em Hjulmand, os mandantes ficaram perto do tento da virada, mas a bomba de Bistrovic foi rebatida pelo goleiro nerazzurro.

No lance seguinte, foi a vez de a Inter mostrar que podia retomar as rédeas do jogo – que poderia ter matado já na primeira etapa, por conta da enorme inconsistência apresentada pela defesa adversária. O que se viu após Falcone defender finalização de Dimarco foi uma blitz intensa, bem repelida pelo arqueiro do Lecce. Inzaghi chegou a montar um time com quatro atacantes mais Mkhitaryan, mas parou no goleiro em oportunidades de De Vrij e Martínez. O gol da vitória saiu apenas no último minuto de acréscimos, com Dumfries. Depois de cobrança de escanteio, Lautaro ajeitou de cabeça e o camisa 2, que entrou na etapa complementar, estufou a rede com a barriga.

Verona 2-5 Napoli

Gols e assistências: Lasagna (Günter) e Henry (Faraoni); Kvaratskhelia (Lozano), Osimhen (Di Lorenzo), Zielinski (Kvaratskhelia), Lobotka (Mário Rui) e Politano (Osimhen) Tops: Kvaratskhelia e Osimhen (Napoli) Flops: Dawidowicz e Retsos (Verona)

O Napoli começou perdendo, mas chegou à virada e venceu o Verona, fora de casa, com enorme superioridade. O destaque ficou para o estreante Kvaratskhelia, ponta georgiano de 21 anos, que anotou um gol e forneceu uma assistência em sua primeira partida com a camisa do clube. Pelo saldo, o Napoli assumiu a liderança do campeonato. Mas também foi dia de alerta para Spalletti: a defesa fez água nas poucas vezes em que os adversários forçaram a barra.

O placar foi aberto pelo Verona graças a uma cobrança de escanteio pela direita. Ilic mandou a bola na área, Günter fez o cabeceio e Lasagna estava a postos para vazar Meret. No entanto, a vantagem durou menos de 10 minutos, já que Lozano ganhou a jogada pelo lado direito e cruzou na área. Kvaratskhelia apareceu de surpresa e subiu mais que a marcação para deixar tudo igual. A virada chegou ainda no primeiro tempo: Mário Rui cobrou escanteio, Di Lorenzo escorou e, na segunda trave, Osimhen estufou as redes.

Já na segunda etapa, a partida continuou eletrizante. A preferência era pelo jogo aéreo, e foi através dele que o Hellas chegou ao empate. Faraoni cruzou e Henry, um dos principais reforços dos butei para a temporada, cabeceou no canto de Meret, que nem se mexeu. Mas a esperança, que antes preenchia o torcedor do Verona, foi se esvaindo conforme a peleja seguiu: pouco tempo depois do empate, o Napoli retomou o controle e deu início à goleada.

Com apenas quatro toques, a bola saiu de Osimhen, passou por Mário Rui, Kvaratskhelia e chegou a Zielinski, que se infiltrou pela marcação e fez o terceiro do Napoli. O Verona levantou a bandeira branca depois que Lobotka segurou a pelota até chegar dentro da área e finalizar por baixo de Montipò, anotando o quarto. Para fechar a goleada, foi a vez de Politano, com uma deixadinha de Osimhen, marcar. E a vantagem poderia ter sido ainda maior, caso Ounas não visse seu gol ter sido anulado por conta de impedimento de Zerbin.

A Inter teve dificuldades para bater o Lecce e só conseguiu no último lance, com Dumfries (AFP/Getty)

Salernitana 0-1 Roma

Gol: Cristante Tops: Cristante e Mancini (Roma) Flops: Coulibaly e Gyömbér (Salernitana)

A estreia da Roma de Mourinho, apesar da grande expectativa, foi marcada pela quantidade de gols perdidos: placar magro omite as chances claras desperdiçadas por Zaniolo e Abraham. Do outro lado, a reforçada Salernitana ofereceu poucos riscos, mas foi mais convincente do que no início da temporada anterior.

A partida começou com erro na troca de passes da Salernitana e boa chance para a Roma abrir o placar. Mas Zaniolo, responsável pela roubada de bola, pecou na finalização e mandou o chute cruzado pela linha de fundo. Em mais uma chance clara, Mancini lançou para o camisa 22 e o goleiro Sepe fez a defesa.

Depois de tanto insistir e perder gols, a Roma abriu o placar aos 33 minutos, após cobrança de escanteio. A bola sobrou para Cristante arriscar da entrada da área e marcar o primeiro na temporada. A Loba queria mais e seguiu no ataque, principalmente com Abraham e Dybala. Em uma jogada, o argentino mandou a finalização na trave e a sobra, que ficou com o camisa 9, foi bloqueada.

Do outro lado, o estreante Candreva tentava igualar o placar. No entanto, a defesa da Roma mostrava compactação e logo fez com que a Loba voltasse a tomar o controle da partida – com mais tentos perdidos. A melhor chance caiu nos pés de Dybala e, já na reta final da peleja, Wijnaldum teve um gol anulado por impedimento do argentino, na origem da jogada. Há margem para evolução.

Fiorentina 3-2 Cremonese

Gols e assistências: Bonaventura (Kouamé), Jovic (Sottil) e Mandragora; Okereke (Ghiglione) e Bianchetti Tops: Bonaventura e Kouamé (Fiorentina) Flops: Escalante e Radu (Cremonese)

A partida entre Fiorentina e Cremonese foi uma das mais emocionantes da rodada. Com o gol precoce, Bonaventura deixou a Fiorentina na frente. Porém, a adversária, recém-promovida, estava disposta a lutar e se mostrou uma rival de ótimo nível. O duelo seria mais justo se Escalante, após uma entrada perigosa, não tivesse sido expulso. Mesmo assim, o empate só escapou dos grigiorossi no último lance da peleja, quando o goleiro Radu cometeu mais um erro clamoroso.

O jogo começou lento, mas favorável à Viola. A equipe de Italiano era dominante e garantiu o primeiro gol aos 16 minutos. Kouamé fez jogada individual pelo lado direito da área, limpou a marcação e encontrou Bonaventura, que chegou chutando para marcar. No entanto, a vantagem toscana durou apenas três minutos. Okereke subiu com maestria e, de cabeça, completou o cruzamento de Ghiglione.

Inspirado pelo bom momento na pré-temporada, Jovic deixou a Fiorentina em vantagem novamente. Sottil encontrou o estreante na área e ele girou, finalizando no contrapé do goleiro Radu. Para complicar a situação da Cremonese, Escalante recebeu cartão vermelho direto após uma entrada perigosa em Kouamé.

A Cremonese voltou mais forte para a segunda etapa e buscou o empate. Zanimacchia arriscou a finalização cara a cara com Gollini, mas o goleiro fez a defesa dupla. Enquanto isso, a Fiorentina tentava ser mais paciente e trocava passes no ataque para encontrar espaço na defesa. O empate saiu em uma jogada ousada: Buonaiuto buscou o gol olímpico e viu o arqueiro violeta tirar em cima da linha. No entanto, o capitão Bianchetti estava atento para conferir, no rebote.

Com o empate no marcador, a partida ficou mais aberta. De um lado, a Fiorentina obrigou Radu a fazer duas defesas importantes; do outro, o arqueiro romeno achou bom lançamento para Dessers, mas o camisa 90 mandou a bola por cima do gol, após vencer a marcação. Quando o jogo caminhava para o empate, a tarde se iluminou para a Viola e virou filme de terror para uma brava Cremonese: nos últimos segundos dos acréscimos, Mandragora cruzou muito fechado e o goleiro, na tentativa de segurar a pelota, acabou se enroscando na rede e caindo dentro da sua própria baliza. O tento acabou atribuído ao volante, diminuindo um pouco o vexame do ex-jogador da Inter, que já falhara feio contra o Bologna e comprometera as chances de título dos nerazzurri em 2021-22.

Colocou para dormir: em grande estreia, Kvaratskhelia foi o nome da vitória do Napoli sobre o Verona (AFP/Getty)

Lazio 2-1 Bologna

Gols e assistências: De Silvestri (contra) e Immobile (Milinkovic-Savic); Arnautovic (pênalti) Tops: Immobile e Lazzari (Lazio) Flops: Maximiano (Lazio) e Soumaoro (Bologna)

Apesar do susto dentro do Olímpico, a Lazio contou com o bom posicionamento de Immobile para vencer o Bologna, num jogo marcado por duas expulsões, incluindo a do goleiro dos biancocelesti. O estreante Maximiano usou as mãos para encaixar a bola fora da área, na tentativa de antecipar Arnautovic, e recebeu o vermelho direto. Apenas seis minutos haviam corrido no relógio até então. Provedel entrou para segurar a bronca, foi bem e tem grandes chances de assumir a titularidade.

A equipe biancoceleste precisou atuar com um jogador a menos durante 85 minutos e, para complicar mais a sua vida, o Bologna abriu o placar através de um pênalti convertido por Arnautovic. Só que, ao contrário do que parecia, a sorte estava do lado da Lazio. E ela começou a mostrar a sua face quando Lazzari saiu costurando e foi parado por Soumaoro, que levou o segundo cartão amarelo e foi expulso da partida.

Com o número de jogadores igualado, a Lazio, que já dava indícios de uma reação, voltou melhor para a segunda etapa. Quase empatou quando Zaccagni tentou a finalização de fora da área e tirou tinta da trave, mas chegou ao gol num lance fortuito. Lazzari teve qualidade para chegar à linha de fundo e cruzar na área, e sorte quando Skorupski fez a defesa e espalmou em cima de De Silvestri, que não conseguiu fugir da trajetória da bola e anotou contra. Aos 79, após triangulação entre Luis Alberto e Milinkovic-Savic, Immobile recebeu o passe em profundidade e marcou, do jeito que mais gosta. Pelo quinto ano seguido, Ciruzzo balançou as redes na rodada inaugural.

Sampdoria 0-2 Atalanta

Gols e assistências: Rafael Toloi (Pasalic) e Lookman (Malinovskyi) Tops: Zapata e Lookman (Atalanta) Flops: Ferrari e Djuricic (Sampdoria)

Em um jogo movimentado em Gênova, a Atalanta venceu a Sampdoria por 2 a 0. O duelo ficou marcado por erros defensivos da dona da casa e também por um gol anulado nos minutos iniciais. A sorte dos mandantes dificilmente teria sido outra em caso de tento validado, no entanto.

A Samp chegou com perigo em menos de um minuto de jogo. Léris passou pelo meio da defesa para receber de Sabiri, mas foi travado por Djimsiti, que chegava por trás. Com insistência, as redes foram balançadas aos 13 minutos, e graças à dupla: Léris recebeu do alemão e tocou no meio para Caputo anotar. No entanto, o VAR entrou em ação e a arbitragem acabou marcando falta do francês, que disputava com Maehle.

A Atalanta aproveitou para crescer na partida e também ofereceu perigo. Num cruzamento de Hateboer, a bola quase chegou para a finalização certeira de Muriel, que acabou escorando e beliscando a trave. Mas o placar zerado durou pouco tempo já que, graças à boa visão de Zapata, imarcável na tarde de sábado, a pelota encontrou Pasalic. O croata ajeitou de cabeça e o ítalo-brasileiro Rafael Toloi desviou para as redes.

Apesar da vantagem da Atalanta, a Sampdoria teve mais uma boa chance de deixar tudo igual. Em uma cobrança de falta, Sabiri acertou a trave e assustou o goleiro Musso. No entanto, depois de duas chances de Quagliarella, a bola puniu a equipe mandante e a Atalanta fechou o placar nos acréscimos. No contra-ataque, Ronaldo Vieira e Colley ficaram sozinhos e Malinovskyi avançou antes de tocar na direita para Lookman, que já tivera um gol bem anulado por impedimento. Após limpar a marcação e deixar um zagueiro no chão, o nigeriano confirmou a vitória da Dea.

A Roma perdeu muitos gols, mas teve vitória tranquila sobre a Salernitana (Getty)

Monza 1-2 Torino

Gols e assistências: Mota (Monza); Miranchuk (Sanabria) e Sanabria (Ricci) Tops: Ricci e Sanabria (Torino) Flops: Pablo Marí e Carboni (Monza)

O Monza de Silvio Berlusconi não teve o começo desejado na Serie A. Dentro de casa, a equipe biancorossa perdeu por 2 a 1 para o Torino, que demorou para reinvestir a verba recebida pela venda de Bremer para a Juventus, mas não sentiu a estreia – afinal, é muito bem treinado por Juric.

A equipe visitante dava indícios de que o jogo não seria fácil para os mandantes logo no começo, quando Pablo Marí ficou pressionado e devolveu a posse de bola para o Toro, perto de sua própria área. Miranchuk dominou e encontrou Radonjic para finalizar. Atento à movimentação, o goleiro Di Gregorio fez a defesa. Na resposta, Filippo Ranocchia tentou responder com boa finalização de fora da área, mas mandou para fora.

Após mais um erro de passes da defesa do Monza, o Torino abriu o placar. Linetty fez a roubada de bola e deixou com Radonjic. O sérvio encontrou Sanabria na entrada da área, pronto para dar a assistência para Miranchuk, que saiu do meio da defesa para marcar em sua estreia. Machucado, o russo acabou sacado no intervalo.

A segunda etapa também foi intensa e com mais chances para o Toro. Foi graças aos erros defensivos do adversário e à própria superioridade ofensiva que o time visitante chegou ao segundo gol. Carboni, que foi para campo já no tempo complementar, quis cortar o passe no meio da área, mas espirrou o taco. Ricci estava preparado para deixar a bola em jogo novamente e, de primeira, encontrou Sanabria para marcar. Mesmo sofrendo frequentemente com as estocadas de Radonjic, o Monza teve forças para tentar reagir e viu Birindelli obrigar Milinkovic-Savic a fazer excelente defesa. O arqueiro, contudo, fracassou nos acréscimos, ao falhar num cruzamento de D’Alessandro e permitir que Mota descontasse.

Spezia 1-0 Empoli

Gol e assistência: Nzola (Bastoni) Tops: Reca e Nzola (Spezia) Flops: Vicario e Ismajli (Empoli)

O jogo entre Spezia e Empoli foi equilibrado e contou com apenas um gol para definir o resultado final. Nzola balançou a rede, mas viu o adversário Empoli apostar em todos os artifícios possíveis para tentar o empate. Sem sucesso, porém: faltou criatividade e contundência por parte dos azzurri, especialmente no segundo tempo.

A primeira boa chance foi do Empoli, com o toque de Bandinelli na entrada da área e o giro de Destro para tentar marcar. Contudo, o goleiro Dragowski, ex-azzurro e estreante no novo clube, fez a defesa. Pouco tempo depois, foi a vez de Bajrami arriscar de fora, também sem sucesso.

Do outro lado, o Spezia começou a reagir e Caldara quase marcou após um cruzamento açucarado de Reca. Pelo flanco esquerdo, o time da casa trabalhava bem e conseguiu anotar o seu gol aos 36 minutos: Bastoni centralizou a jogada e achou bom passe em profundidade para Nzola, que colocou por entre as pernas do goleiro Vicario. Depois do tento, o Empoli voltou a ameaçar, com Destro, mas fez pouco para tentar o empate.

Seleção da rodada

Falcone (Lecce); Dumfries (Inter), Mancini (Roma), Cristante (Roma), Reca (Spezia); Lobotka (Napoli), Ricci (Torino); Rebic (Milan), Osimhen (Napoli), Kvaratskhelia (Napoli); Vlahovic (Juventus). Técnico: Ivan Juric (Torino).

Saiba mais sobre o veículo